Exposição – Paz e Bem

PAZ E BEM.

Este é o título da exposição que entra em cartaz no próximo dia 04 de outubro (terça-feira) na Galeria Jenner Augusto, apresentando trabalhos da coleção de Carlos Roberto Britto Aragão, professor, membro da Academia de Letras de Aracaju (ALA) e diretor presidente da Sociedade Semear, em homenagem a São Francisco de Assis. A exposição tem curadoria de Mario Britto e expografica de Lilia Duarte. A noite de abertura contará ainda com o lançamento do livro “Paz e Bem” reunindo textos e obras da coleção. A abertura acontece a partir das 19h30.

Na exposição o público poderá perceber que pintores, escultores, desenhistas, xilógrafos, gravadores, fotógrafos e artesãos se utilizaram das mais variadas técnicas para, sob a ótica de cada um, retratar São Francisco.

“A exposição e o livro surgem a partir do desejo de Carlinhos, como é carinhosamente chamado por familiares e amigos, de expor e compartilhar a sua coleção de arte que tem como protagonista um dos seus santos de devoção – São Francisco. Posso dizer que Carlinhos é um colecionador de fé”, comenta Mário Britto.

O título da exposição (Paz e Bem) refere-se à saudação que está vinculada ao Deus-Amor, o Sumo Bem (“… Senhor, sois o sumo Bem, o Bem eterno, do qual procede todo o bem e sem o qual nada pode ser bom”, escrito de São Francisco, parafraseando a Oração do Senhor, o Pai Nosso). Saudar alguém com ‘Paz e Bem’ é o mesmo que dizer: o amor de Deus que trago em meu ser, é o mesmo que reconheço nos outros e no mundo e, por causa d’Ele, devemos viver a caridade – o Bem – entre nós”. Nascido no ano remoto de 1182, em Assis, na Itália, o fundador da Ordem Medicante se fez instrumento da paz, e levou, por onde andou, amor, perdão, união, fé, verdade, esperança, alegria e luz.

“Confesso que não sei precisar quando começou a minha relação/ligação com São Francisco. Nasci na cidade de Propriá, banhada pelo Rio São Francisco, sendo, pouco tempo depois batizado na Igreja Matriz de Santo Antônio (santo franciscano), recebendo como sinal da minha adoção por Cristo a aspersão das águas daquele rio. Lembro-me, ainda, que por volta dos nove anos, sai em um desfile religioso ou cívico, vestido com hábito franciscano. Agora um pouco mais consciente e depois de muita reflexão, meditação, percebo que boa parte das coisas que aconteceram e que acontecem na minha vida têm muito a ver com a espiritualidade franciscana, estando muito longe, obviamente, da sua santidade, mas buscando aprender um pouco com o seu exemplo”, explicar Carlinhos Britto.

A exposição “Paz e Bem” ficará em cartaz até o dia 30 de dezembro. As visitas poderão ser feitas de segunda à sexta, em horário comercial, com entrada gratuita.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *